Vira o disco e toca o mesmo: Óscares novamente em cheque à conta das nomeações «brancas»

Vira o disco e toca o mesmo: Óscares novamente em cheque à conta das nomeações «brancas»

FILE - In a Tuesday, Dec. 1, 2015 file photo, Spike Lee attends the premiere of "Chi-Raq" at the Ziegfeld Theatre, in New York. Calls for a boycott of the Academy Awards are growing over the Oscars’ second straight year of mostly white nominees, as Spike Lee and Jada Pinkett Smith each said Monday, Jan. 17, 2016, that they will not attend this year’s ceremony. (Photo by Charles Sykes/Invision/AP, File)

Photo by Charles Sykes/Invision/AP, File

O realizador Spike Lee e a actriz Jada Pinkett Smith contestam a ausência de actores negros entre os nomeados pela Academia e anunciaram esta segunda-feira que não estarão presentes na entrega dos prémios, no próximo dia 28 de Fevereiro.

Desde a passada quinta-feira, dia em que foram anunciadas as nomeações para os Óscares, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas tem sido duramente criticada pela total ausência de actores negros entre os 20 nomeados para Óscares nas categorias individuais de actores.

Spike Lee, que recebeu um Óscar honorário em Novembro do ano passado, é, até agor,a o nome mais sonante entre as estrelas que se recusam a assistir à cerimónia, em Los Angeles, no próximo dia 28 de Fevereiro, questionando como é possível que “todos os nomeados sejam brancos”, pelo segundo ano consecutivo.

Poucas horas depois de anunciadas as nomeações deste ano, Spike Lee contestou desde logo a ausência de negros entre os nomes apontados para as principais categorias. O realizador norte-americano realçava que a comunidade negra “pode ganhar um ou outro Óscar, mas a atribuição de um Óscar não vai mudar a forma como se fazem os negócios de Hollywood. Não falo das estrelas de Hollywood, mas sim de chefes executivos. Somos excluídos da sala “.

A actriz Pinkett Smith também vai boicotar a cerimónia e disse esta segunda-feira que a comunidade negra não pode implorar mais pelo “amor, reconhecimento ou respeito”. Smith é esposa de Will Smith, que estava na lista prévia de artistas candidatos ao Óscar de melhor actor pelo seu papel em Concussion (A Força da Verdade), mas acabou por não marcar presença na lista final.

Não é a primeira vez que a ausência de atores negros entre nomeados causa celeuma, numa sociedade que é ainda hoje profundamente marcada por tensões raciais. A hashtag #OscarsSoWhite, criada no ano passado após a revelação das nomeações, volta a estar em destaque nas redes sociais.

twitter_m

Cara Buckley, repórter de cinema e cultura para o The New York Times, aponta o dedo à Academia e à inerente ausência de diversidade nos estúdios de Hollywood, fazendo referência a uma investigação do Los Angeles Times, datada de 2012, onde se faz a denúncia de uma organização cuja composição sempre esteve envolta em enorme secretismo. O diário californiano revelou na altura que quem vota nos nomeados e vencedores são sobretudo homens (77 por cento), caucasianos (94 por cento), com uma idade média de 62 anos.

Lúcia Gomes

Tem opinião sobre tudo.
É uma perigosa subversiva.
Não gosta de Woody Allen nem de governos de direita.
Adora frio e chuva.