1ª edição do Arroios Film Festival em Lisboa a partir de 1 de Julho

arroios ff

Não é muito usual: o desinvestimento no cinema português, a falta de apoios à criação às artes tem levado, infelizmente, à sobrevivência apenas do cinema mainstream e mesmo ao fim do cineclubismo, tão activo nos tempos posteriores a Abril de 74.

Mas as autarquias locais têm chamado a si essa dinamização e surgem, cada vez com mais frequência, estas manifestações de verdadeira democracia cultural.

Desta vez em Arroios, Lisboa.

O Arroios Film Festival é organizado pela Junta Freguesia de Arroios, com o apoio da Arroios TV e outros parceiros públicos e privados. Arroios é uma freguesia de Lisboa que se caracteriza pela sua diversidade cultural. São quase 80 nacionalidades, que atravessam os cinco continentes, concentradas em 52 quilómetros quadrados.

Chegar a todos, sem preconceitos, aceitando e tentando compreender as suas diferenças culturais, religiosas, políticas e as demais é o objectivo da Junta de Freguesia de Arroios. Nem sempre se estabelece relação entre as noções de diversidade e inclusão, aliás estas parecem ser noções de universos distintos, de universos incompatíveis, contrários, opostos. A Junta de Freguesia de Arroios tem como objectivo combater esta concepção e aproximar, se possível sobrepor, as ideias de diversidade e inclusão. É o que se pode ler no site que apresenta o festival.

A criação do Arroios Film Festival pretende através da sétima arte alertar consciências para a problemática da inclusão. Este é um festival de curtas-metragens dirigido a todas as pessoas que fazem e se interessam por cinema. O tema é a inclusão no sentido alargado do termo: inclusão económica, social, cultural, religiosa ou outra. O Arroios Film Festival visa ser um local de encontro de culturas, de formas de estar e de reflexão sobre as várias vertentes inclusão.

Na programação, filmes de várias nacionalidades, em competição e fora de competição, com sessão de abertura no dia 1 de Julho e decorrerá até ao dia 8. Reza Kianian – considerado um dos melhores atores iranianos da história cinematográfica do Irão – é o grande destaque desta edição, já que integra a presidência do júri. No seu currículo, conta com a participação em dezenas de filmes e inúmeros prémios. Autor de nove livros publicados e artista multifacetado, Reza Kianian divide o seu tempo entre o cinema e as belas artes.

A acompanhá-lo, estarão igualmente presentes Zezé Gamboa, cineasta angolano galardoado com o Prémio do Grande Júri do World Dramatic Competition of the Sundance International Film Festival em 2005 com o filme O HERÓI (2004), que se tornou um sucesso internacional; Anabela de Oliveira, directora do Rios – Festival Internacional de Cinema Documental, professora auxiliar na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e investigadora no Labcom e Transmedia; Sérgio Graciano, realizador de “Assim Assim” e vencedor de um Emmy Award com a telenovela “Laços de Sangue” (SIC) e Patricia Lozano, correspondente do MILENIO RADIO do Grupo Multimedios.

Toda a programação aqui.

Lúcia Gomes

Tem opinião sobre tudo.
É uma perigosa subversiva.
Não gosta de Woody Allen nem de governos de direita.
Adora frio e chuva.