Masterclass no LEFF - Trabalhar com David Cronenberg

Masterclass no LEFF – Trabalhar com David Cronenberg

David Cronenberg foi a figura principal do Lisbon & Estoril Film Festival no dia de ontem, 6 de Novembro. O realizador esteve presente no lotado Auditório do Centro de Congressos do Estoril para apresentar o seu último filme “Método Perigoso” e protagonizar uma descontraída conversa com a plateia.

“Método Perigoso” é um filme baseado em factos reais que retrata os primeiros tempos da psicanálise e tem como personagens principais Sigmond Freud, Carl Jung, Otto Gross e Sabina Spielrein, figuras centrais e pioneiras nesta área. Um drama que dá conta do confronto de posições do aprendiz Carl Jung com o seu mestre Sigmond Freud, num argumento que constitui um bom exemplo da complexidade da mente humana.
Numa masterclass realizada depois da exibição do filme, Cronenberg confessou que ficou “entusiasmado desde o primeiro momento” com a ideia de realizar um filme sobre a vida de Freud e que, passadas as dificuldades financeiras iniciais, a sua única preocupação passou a ser “encontrar a forma certa para fazer a história funcionar de forma a cativar as pessoas”.

As primeiras imagens do próximo filme de David Cronenberg, «Cosmopolis», foram exibidas neste domingo no Lisbon & Estoril Film Festival em estreia mundial com a presença do realizador, de dois actores e do diretor de fotografia.

O realizador canadiano alertou a plateia do Centro de Congressos do Estoril que aqueles dois minutos e meio «não mostram o que o filme é, porque é um vídeo de um computador», mas já foram suficientes para o público ficar com uma ideia do que chegará aos cinemas no próximo ano. «Cosmopolis» tem a produção de Paulo Branco, o director do LEFF.

O excerto mostrou sobretudo o protagonista, o actor Robert Pattison, mas também Sarah Gadon, Juliette Binoche, Paul Giamatti, Samantha Morton e Mathieu Amalric. No final, surgiu no ecrã a data 12.12.2012, talvez a data de estreia, como escreve a agência Lusa, e a frase «Finalmente o filme do novo milénio».

O encontro com o público no LEFF tinha um tema: «Working with David Cronenberg» («Trabalhar com David Cronenberg») e foi por aí que começou a conversa, primeiro entre realizador e actores e depois alargada ao público.
Paul Giamatti trabalhou pela primeira vez com David Cronenberg em «Cosmopolis» e considera que o realizador lhe deu, bem como aos outros actores, uma «quantidade assustadora de liberdade», expressão que Sarah Gadon, que além de «Cosmopolis» participa em «Um Método Perigoso» (exibido neste domingo em antestreia no festival), considera «muito boa». «Senti que tive um espaço grande de criação», afirmou a actriz.

Durante a conversa foi visível a boa relação de Cronenberg com os actores Sarah Gadon e Paul Giamatti e com o diretor de fotografia Peter Suschitzky. «Sempre que trabalho com o David [Cronenberg] sinto um misto de entusiasmo e medo», afirmou o também fotógrafo, que tem uma exposição patente no Centro de Congressos do Estoril.
As perguntas do público começaram por visar o protagonista de «Cosmopolis», Robert Pattison. «Como está ele no filme?», perguntou um jovem, ao que Cronenberg respondeu: «Está a cem por cento. É um actor soberbo.»

Para o realizador, Robert Pattison, tal como Keira Knightley, uma das protagonistas de «Um Método Perigoso», é «subvalorizado». «Como realizador, és um tonto se escolhes alguém que não tem talento porque não podes hipnotizá-lo para que seja excelente. Se não for bom não há nada que possas fazer», disse. «Consegui ver que ele tem talento», reforçou Cronenberg.

Texto por Joana Peralta

Arte-Factos

Webzine portuguesa de divulgação cultural. Notícias, música, cinema, reportagens e críticas. O melhor da cultura num só lugar.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube