TRIPS no Plano B (14/12/2013)

TRIPS no Plano B (14/12/2013)

#18 Eric Copeland

Texto por Emanuel Henriques / Fotos por Cláudia Andrade

O ano de dois mil e treze está quase no fim, mas a Amplificasom e a Lovers & Lollypops não quiseram deixar passar esta oportunidade em claro e decidiram brindar-nos com um TRIPS de fim de ano, mais uma vez no Plano B, muito bem composto.

A noite iniciar-se-ia com os escoceses The Cosmic Dead, com o seu som a deambular nos meandros de um space rock bem cósmico e um rock psicadélico mais sónico. Apesar do som deste quarteto não ser em nada inovador, fica o registo de uma actuação muito competente, com uma boa presença em palco, onde a firme e delirante bateria consegue dar corpo aos riffs mais trippados da guitarra e ser seguida bem de perto pelas linhas de baixo, dando largas à imaginação dos sons mais sintetizados. Se o concerto conseguiu atingir picos de exaltação sónica, o seu fim foi claramente uma morte lenta e arrastada.

Os repetentes Camera – que estiveram na última edição do Milhões de Festa – subiram ao palco com o seu Krautrock, cheio de groove. Mais uma vez, a bateria a ser o alicerce que segura – em loop – as linhas de guitarra e sintetizadores. No entanto, este concerto foi um pouco mais sensabor do que o dos The Cosmic Dead e também se o compararmos com aquele em Barcelos. O trio alemão representa o krautrock mais puro e genuíno, com toda a vertente de improviso, com todos os riscos adjacentes a esse estilo. Certamente que os Camera não estarão minimamente preocupados com isso.

O Eric Copeland teve uma tarefa extremamente complicada pela frente: ora as pessoas estavam a digerir o concerto dos Camera e estavam, portanto, numa fase de descompressão mental; ora as pessoas que chegavam ao Plano B e estavam certamente a ambientar-se e a ganhar cadência. O certo é que o seu clubbing não foi apreciado por muitos. No entanto, estava-se mesmo bem na sala Cubo do Plano B, tanto com a sua electrónica densa e um pouco obscura que ia sendo iluminada com os néones da sala. A noite já ia longa mas continuaria com o DJ set da Lovers & Lollypops e com Al Lover.

Arte-Factos

Webzine portuguesa de divulgação cultural. Notícias, música, cinema, reportagens e críticas. O melhor da cultura num só lugar.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube