Músicas da Semana #99

Escolhas de Guilherme Gonçalves (Coclea):

Windy Carl

Windy & Carl – Remember 
Windy & Carl é uma das grandes influências na minha música. Gosto muito do último disco deles e tenho-o ouvido bastante. Esta faixa, na minha opinião, é a mais bonita do disco… actua como um longo portal por onde o ouvinte passa, até chegar às dimensões do drone e da suspensão, que são providenciadas pelas faixas seguintes… É mesmo bom…

Africa Negra – Angélica
Um dos meus guitar heroes é o senhor Leonildo dos Africa Negra.  Tive o privilégio de o conhecer e de o ouvir tocar há pouco tempo atrás e fiquei de boca aberta… Os Africa Negra são uma banda santomense da década de 70 e o disco Angélica é de 1983. Esta faixa, que tem o mesmo nome do disco, é a minha preferida. Todo o discurso musical e lírico é simplesmente delicioso…  Não me canso de ouvir.

Fleetwood Mac – Albatross
Outro dos meus guitar heroes é o Peter Green e esta música em particular também é daquelas que não me canso de ouvir. Albatross pertence ao álbum English Rose dos Fleetwood Mac lançado em 1969. Sempre que a oiço sinto que o mundo não tem atrito nem gravidade… entro num espaço onde tudo é fácil e sem peso… é lindo.

Bombino – Mahegagh
Mais um guitar hero… o Bombino! Bombino é um músico Tuareg oriundo do Niger e tem uns guitarskills impressionantes. Mahegagh é uma bonus track do disco Agadez de 2011 e é uma trip incrível de 11:30min que começa com uma progressão de acordes calmos e vocalizações suaves… mas a partir dos 4min a música começa a escalar em direcção a um  mantra poderosíssimo em que a secção rítmica agarra a música, dando espaço aos solos de guitarra que assumem a liderança da viagem…  dá mesmo vontade de largar tudo e ir dançar para o deserto…

Kurt Vile – Gold Tone
O Kurt Vile não é um guitar hero mas é um vibe setter hero… Adoro o seu último álbum e em especial esta música.  Gold Tone é a faixa que termina o disco e desempenha na perfeição essa função. Quando a acabo de ouvir tenho sempre a sensação de que estive numa praia algures a beber caipirinhas ao pôr-do-sol com os meus melhores amigos e uma voz dentro de mim diz: “Está tudo bem…”. É uma grande música!

Escolhas de Hugo Rodrigues:

City and Colour

City And Colour – Two Coins
Uma das minhas músicas preferidas do ano passado e que continua a rodar bastante por estes lados. É um senhor este Dallas Green.

letlive. – We the Pros of Con
Tenho nas últimas semanas desenterrado alguns dos álbuns que ouvia bastante e que por um motivo ou outro foram caindo no esquecimento. Nestes últimos dias calhou ao “Fake History” dos letlive. e a música mais em destaque foi esta “We The Pros Of Con”, que junta o lado mais pesado da banda com o lado mais melódico na perfeição.

Marvins Revolt – Organize your Arms
Tenho saudades destes dinamarqueses e por isso esta semana recapitulei os dois álbuns da banda. Qualquer um dos temas podia estar aqui em destaque, porque fui ouvindo os discos por inteiro, mas tendo que escolher uma, deixo aqui a “Organize your Arms”.

Mikal Cronin – See It My Way
Uma das minhas surpresas do ano passado foi este Mikal Cronin, e desde que o álbum “MCII” foi editado que não sai do meu leitor de MP3. É sempre agradável ouvir e voltar a ouvir este disco, tendo em consideração que sabe ainda melhor fazê-lo com o sol a bater-nos na cara.

Oceansize – Meredith
Nunca pode faltar Oceansize na minha semana, e nesta não foi diferente.

Escolhas de Cláudia Andrade:

Catacombe

Catacombe – Lolita
Já saiu e já o tenho comigo – Quidam, novo álbum dos grandes Catacombe que tem feito os meus dias mais felizes. Foi sem dúvida o que mais ouvi esta semana. Orgulho enorme nestes senhores.

Loop – Straight To Your Heart
Foi preciso passarem 28 anos para alguém me apresentar estes senhores, ainda assim, acho que veio bem a tempo. Vou andar os próximos dias a pôr em dia 28 anos de Loop. Começou já hoje com esta Straight To Your Heart.

Brambles – Unsayable
Quem gosta de Erik Satie e Riceboy Sleeps vai ficar rendido a este disco tal como eu fiquei. Que venham mais surpresas destas todas as semanas.

Bossk – Truth
Voltei a ouvir Bossk durante esta semana . Para os fãs de Cult Of Luna que não conhecem ou que nunca deram grande atenção, voltem a pegar nisto que parece-me que hoje em dia sabe ainda melhor.

Townes Van Zandt – Heavenly Houseboat Blues
Quando chegas a casa e respiras fundo. Melhor banda sonora.

Escolhas de Cláudia Filipe:

Chet Faker

Chet Faker – Cigarettes & Loneliness
Pegar num álbum com algumas reservas tem as suas surpresas. Não esperava gostar tanto do disco do Chet Faker, mas valeu a pena ignorar alguns preconceitos. Já tenho música preferida e tudo. Esta Cigarettes & Loneliness é mais bonita do que o seu título cheesy.

Amenra – À mon âme
Está cientificamente provado que, quantos mais planos se fazem, mais as coisas saem furadas. Depois da chapada que foi o concerto no Amplifest’12, passar a semana antecipar como seria este reencontro com os belgas. Apesar do desalinhamento cósmico foi, tal como seria de prever, uma hora muito intensa e esmagadora.

Red Sparowes – In Illusions of Order
Bandas às quais vale sempre a pena voltar. E nunca mais voltar a deixar na gaveta tanto tempo.

Converge – All We Love We Leave Behind
Todas as desculpas são boas para voltar a um álbum de que se gosta tanto. Ainda bem que os Converge se lembram de lançar vídeos para músicas com quase dois anos de atraso. Vídeo esse que está ao nível da música que ilustra.

The Pains of Being Pure at Heart – Eurydice
Primeiro avanço para Days of Abandon, o novo álbum dos The Pains of Being Pure at Heart, ou músicas para ouvir mais do que 10 vezes seguidas.

Arte-Factos

Webzine portuguesa de divulgação cultural. Notícias, música, cinema, reportagens e críticas. O melhor da cultura num só lugar.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube