Expendables 3 (Os Mercenários 3)

Expendables 3 (Os Mercenários 3)

Os Mercenários 3

Do realizador Patrick Hughes chega-nos o terceiro capítulo da série The Expendables. Quem se estreia nesta trilogia pode esperar um filme que reúne todo um estrelato de veteranos do cinema de acção norte-americano e por conseguinte uma mistura de todos os elementos familiares a esse mesmo tipo de cinema. The Expendables 3 é um filme de acção que, contendo muitas referências aos clichés e nichos de todo o género de acção, se apresenta numa fórmula muito auto-consciente e divertida. Por outras palavras: coisas a explodirem, porrada a ser distribuída como panfletos em época de saldos e vilões que ao invés de uma morte sossegada, são completamente obliterados.

O enredo centra-se numa missão de Barney Ross (Sylvester Stallone) com o objectivo de capturar Stonebanks (Mel Gibson), um fantasma do passado da companhia de mercenários The Expendables que fora dado como morto. Para esta tarefa Barney desmantela a sua velha equipa e procura candidatos aptos para integrar uma nova equipa de mercenários; uma nova geração de Expendables. O que à partida parece ser uma boa ideia, uma tentativa de trazer algo de novo à fórmula desta saga de filmes, rapidamente caiu por terra devido à sua má execução.

Arnold Sylvester

Expendables 3, com uma duração de 126 minutos, é o filme mais longo da série. Este capítulo peca bastante por se apresentar num ritmo constrangedor. Perde muito tempo com cenas introdutórias a cada membro da nova equipa e pouco tempo depois disso muda o foco da atenção completamente.

A introdução ao antagonista foi também mal concebida. À partida parece estabelecido que quase todos os personagens estão familiarizados com Stonebanks e a sua motivação. Nisto o espectador é deixado num estado de ignorância deixando a seguinte pergunta a pairar no ar: “Quem é este tipo e porque é que eu me devo importar?” Tudo isto toma demasiado tempo do filme e torna-o um pouco cansativo. Mais uma vez, alguns actores recebem pouco tempo de atenção deixando a sensação de que muitos dos elementos do elenco anunciado pelo filme estão apenas a cumprir um papel de convidados especiais. [Nota do editor: E para anunciar matrimónio]

Mel Gibson Stonebanks

Nota positiva para a contribuição de Ronda Roussey, lutadora de MMA, cuja coreografia de luta foi das mais bem executadas de todo o filme. Todo o estilo de humor que testa a solidez da quarta parede ainda está bem presente neste capítulo de The Expendables e, como sempre, é um dos elementos mais divertidos deste filme. A prestação de António Banderas foi um dos pontos mais altos do filme deixando-nos a desejar por mais.

Ronda

Concluindo, Expendables 3 é um filme que, apesar de não trazer nada de novo, funciona bem nos seus próprios termos. Se o espectador está simplesmente à procura de um filme de acção divertido com um elenco memorável este filme é altamente recomendado.

e7

Texto por Carlos Marques

Arte-Factos

Webzine portuguesa de divulgação cultural. Notícias, música, cinema, reportagens e críticas. O melhor da cultura num só lugar.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube