Riding Pânico no Lux (23/01/2015)

Riding Pânico no Lux (23/01/2015)

30-riding-pc3a2nico

Texto por Cláudia Filipe / Fotos por Hugo Rodrigues

As Black Balloon já nos surpreenderam com grandes clássicos a serem recriados em palco. Para esta edição especial, calhou aos Riding Pânico trazer um pouco de Autobahn ao Lux.

O mítico álbum de Kraftwerk redefiniu a história da música electrónica: pensar que esta obra já tem quarenta anos (!!!) relembranos-nos da quantidade de décadas à frente que estava o pensamento destes alemães. Talvez pelo peso da responsabilidade, os Riding Pânico, que apesar de terem uma nova formação recente, se mostram igualmente coesos, agarram o tema que dá título ao álbum de forma irreprensível. Um mar de sintetizadores e uma avassaladora bateria, agora comandada por Miguel Abelaira, levam-nos numa viagem no tempo, subitamente interrompida para voltarmos ao presente e celebrarmos também a obra de Riding Pânico. Temas como Dance Hall ou a incontornável e sempre arrepiante E Se a Bela For o Monstro não puderam faltar, mas o auge acabaria por voltar com o encerramento do concerto, mais uma vez ao som dos minutos que faltavam tocar de Autobahn. Uma grande actuação, mais uma, onde só falhou ter faltado o resto do álbum dos Kraftwerk.

12-pista

E como era uma noite especial, viram-se duas primeiras partes. A primeira, a cargo dos PISTA, uma das mais recentes revelações do panorama musical nacional. Os ritmos quentes de Puxa, aliados a uma descontrução sonora muito bem executada, fazem-nos dançar. Este trio vai longe.

Jibóia já dispensa apresentações: saímos dos trópicos e voámos até Bollyhood por entre escalas certeiras de guitarra e a língua estranha em que Ana Miró canta. Badlav, o primeiro longa duração, e as suas várias Yugas vieram conhecer o palco do Lux e prolongar o efeito de baile naquela sala. Curiosamente, Omar Souleyman tocava na sala ao lado, mas quem precisa dele quando temos o psicadelismo de Jibóia.

A festa continuou noite dentro com uma incontável selecção de grandes canções no piso de cima. Longa vida às Black Balloon e às grandes festas que nos têm proporcionado.

Arte-Factos

Webzine portuguesa de divulgação cultural. Notícias, música, cinema, reportagens e críticas. O melhor da cultura num só lugar.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube