Músicas da Semana #133

Escolhas de The Ramblers:

Paco de Lucía

Paco de Lucía – Reflejo De Luna
«There are only two or three guitarists who can be considered legends. And above all is Paco de Lucía» – Keith Richards

Yugoton & Kazik – Malcziki
Ska cigano. É ska e é cigano. Percebem?

Kwantta – Espelho
Porque se a indústria da música em Portugal fosse um mundo justo e meritocrático estes homens estavam em todas as queimas e festivais de verão do país. Além de músicos fantásticos, são talvez a melhor banda portuguesa ao vivo, na actualidade.

Lobo Homem Lobo – Geração Call-Center
Disco prestes a sair (que já ouvimos, porque ele é cá dos nossos) mas este single já está cá fora. Guitarradas e letras que cortam à fatia o país em que vivemos. Esta, além de groovy e funky, tem um sentido de humor brutal. Todos conhecemos alguém que trabalha num call-center e anda «na faculdade sem dinheiro nem idade para esconder o embaraço»!

Mark Ronson feat. Bruno Mars – Uptown Funk
O toque mainstream da lista. Porque é tudo aquilo que a Pop mainstream devia ser. Guitarra funky, sopros de nos fazer cair o queixo, linha de baixo genial e interpretado com uma basófia que faz o Prince e o Michael Jackson acreditarem que o que fizeram não foi em vão. Ah, e é mesmo tocado, com instrumentos e tudo. Quem nos dera que fosse um “trend setter”, mas não vai ser.

Escolhas de Hugo Rodrigues:

©Elinor Jones

©Elinor Jones

Metz – Acetate
Os Metz regressam este ano com um novo disco (“II” chega no início de Maio) e o primeiro avanço é “Acetate”, um tema bem representativo do que a banda consegue fazer e um excelente aperitivo para o que ainda aí vem. Agora é esperar que a digressão da banda passe por cá de novo, a minha aposta é que sim.

Cage The Elephant – Aberdeen
Por alguma razão não consegui gostar muito de “Melophobia”, o último álbum editado pelos Cage The Elephant, mas ainda adoro parte do “Thank You, Happy Birthday”, como em 2011. Esta é uma das minhas preferidas.

Equations – Sssuuunnn
Peguei nesta semana pela primeira vez no mais recente álbum dos Equations e gostei bastante do que ouvi. Não posso dizer que tenha ouvido a “Sssuuunnn” mais vezes que qualquer outro dos temas do disco, mas é a faixa que o encerra e portanto é o “resto” da viagem que fica.

This Town Needs Guns – Chinchilla
Esta semana fez-me pensar em Aberdeen, primeiro pela música que já deixei mais acima e depois por algo que me postaram no facebook a relembrar o concerto que vi de Oceansize nessa mesma cidade. O que é que isto tem a ver com os This Town Needs Guns? Foram eles uma das bandas de abertura dessa noite.

Minus The Bear – Riddles
Para continuar na temática animalesca que parece ter-se apoderado das minhas escolhas musicais esta semana (com o nome de bandas e músicas, calma), e porque a “Riddles” é uma música do caraças.

Escolhas de Cláudia Andrade:

King Woman

King Woman – Wrong
Esta foi uma excelente semana de novidades, sendo King Woman umas das mais felizes. Projecto que nasceu em 2009, mas que esteve inactivo até 2013, vendo, esta semana, a luz do dia com um excelente EP que veio trazer uma lufada de ar fresco ao doom da velha guarda, com pormenores psicadélicos e shoegaze que resultam de forma mágica. Vale a pena.

Pyramids – I Am So Sorry, Goodbye
Outra das grandes novidades desta semana foi sem dúvida a notícia de que os Pyramids estão prestes a lançar um novo álbum, algo pelo qual anseio desde que editaram o homónimo em 2008. Embora nos tenham presenteado durante estes últimos anos com alguns dos melhores splits (em conjunto com algumas das melhores bandas – Nadja, Mamiffer, Horseback), nada se compara à alegria de ouvir, finalmente, mais um longa-duração destes senhores. Enquanto esperamos por essa obra impacientemente, vamos ouvindo esta “I Am So Sorry, Goodbye” em loop.

Hæthen – Spiritrise
No campo do Black Metal, o melódico e “atmosférico” sempre foi mais a minha praia. É isso que os Hæthen nos trazem com este primeiro álbum “Shaped By Aeolian Winds”. Mais uma excelente novidade desta semana.

Shearwater – I Was A Cloud
Sheawater é daquelas bandas que quando se ouve pela primeira vez uma música se pensa “hum.. isto parece-me um bocado pop demais para o meu gosto”, mas o que é certo é que esta é uma banda que quanto mais se ouve, mais se gosta, mais se entranha. Esta semana explorei o “Rook”, álbum editado em 2008 do qual escolhi esta maravilhosa “I Was a Cloud”, um folk profundamente belo que de pop não tem nada e que coloco no mesmo patamar da lindíssima “re: stacks” de Bon Iver.

José González – Heartbeats
Há músicas que têm um efeito inexplicável em nós. Quando as ouvimos sem estarmos à espera sentimos o corpo reagir, o coração bate mais rápido, o sorriso aparece nos nossos lábios sem termos capacidade de o bloquear, os olhos brilham, sentimos borboletas no estômago e a vontade de acompanhar a melodia com a nossa voz torna-se impossível de conter. É o que sinto com esta “Heartbeats”. Diria que é amor. Infelizmente não tive oportunidade de a ver ainda ao vivo, mas estou desejosa de sentir tudo isto no dia 5 de Junho.

Escolhas de Cláudia Filipe:

Sufjan-Stevens-to-Debut-Film-and-Live-Score-News-FDRMX

Sufjan Stevens – No Shade In the Shadow of the Cross
Cinco anos depois de The Age of Adz, Sufjan Stevens deixa os experimentalismos de parte e volta às raízes folk. O primeiro single para Carrie & Lowell já é conhecido e devo andar a ouvi-lo numa média de 10 vezes por dia, no mínimo.

Kraftwerk – Trans Europa Express
Ansiosa pelo comboio destruidor que vai mandar o Coliseu de Lisboa abaixo. Nem consigo acreditar que vou ver uma das bandas que me acompanhou durante o meu crescimento musical.

Colin Stetson & Sarah Neufeld – The Sun Roars Into View
Quando um dos meus saxofonistas contemporâneos preferidos se junta a uma excelente violinista (reconhecida pelo seu trabalho com Arcade Fire), acontece mesmo magia. Este trabalho é lindíssimo e mal posso esperar por ouvir o resto.

Death Cab for Cutie – New Year
Mais de 10 anos depois, vai saber tão bem ouvir esta e outras ao vivo. Depois do Conor Oberst em Paredes de Coura o ano passado, o regresso à minha adolescência vem pelas mãos de Ben Gibbard e do resto dos Death Cab for Cutie no NOS Primavera Sound.

Pitbull ft. John Ryan – Fireball
Um pouco de prazeres pop em noite de Carnaval nunca fizeram mal a ninguém.

Arte-Factos

Webzine portuguesa de divulgação cultural. Notícias, música, cinema, reportagens e críticas. O melhor da cultura num só lugar.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube