Matana Roberts no Out.Fest

Matana Roberts no Out.Fest

Matana Roberts

O Out.Fest – Festival de Música Exploratória do Barreiro – tem sido responsável por divulgar alguns dos nomes mais importantes no panorama da música alternativa e experimental.

Apesar de ainda não haver uma confirmação oficial da parte do festival, segundo o facebook de Matana Roberts esta voltará a Portugal para uma passagem pelo Barreiro no dia 8 de Outubro.

Com a sua Coin Coin Series, Matana Roberts tem dado que falar no que diz respeito a jazz de contornos mais experimentais. Matana propôs-se a escrever cerca de doze, sim doze, álbuns onde pretende abordar a história dos afro-americanos e a sua luta pela igualdade de direitos civis – já vai em três.

Saxofonista e compositora reconhecida, Matana faz por romper com a convenção que, apesar de tudo, afirma respeitar. Não está cá para ser mais uma voz doce do jazz e os seus improvisos são violentos. Já colaborou com os Godspeed You! Black Emperor e foi pela editora deles que os seus três discos mais recentes viram a luz do dia.

Para além de explorar novos territórios, Roberts presta homenagem a toda a música e cultura afro-americana que a antecedem, evidenciando-se como uma espécie de activista. Em “Coin Coin Chapter Three: River Run Thee”, deste ano, temos uma das misturas mais orgânicas que já se ouviu entre o jazz mais avantgarde e o que julgo que se pode chamar drone, tudo embrulhado em texturas, field recordings e excertos de spoken-word.

Mantana fala-nos de História, memória colectiva e herança cultural, e a sua música não se coíbe de, por vezes, emular o sofrimento descrito em alguns dos capítulos mais feios da História.

Ricardo Almeida

Nasceu em 89, não gosta de futebol e tem Demis Roussos como líder espiritual.