A Caminho do Oeste (Slow West)

A Caminho do Oeste (Slow West)

A Caminho do OesteO primeiro filme de John Maclean, Slow West, teve uma estreia injustamente discreta nas salas portuguesas, mesmo após ter sido vencedor do prémio do júri no festival Sundance e mesmo estando disponível para download pirata há bastante tempo, o que infelizmente é critério cada vez mais influente na passagem dos filmes pelos cinemas portugueses. Para primeira abordagem (na verdade John Maclean já tinha realizado anteriormente duas curtas metragens com Michael Fassbender) o realizador saiu-se muito bem, dando um forte cunho de autor à sua obra.

slow

Slow West é uma nova abordagem ao western, como já havia sido este ano The Homesman. Em termos de sinopse, o filme é sobre dois aventureiros que viajam em direcção ao Oeste selvagem em busca da amada de um deles, mas em termos de fórmula de apresentação nada deve às características mais clássicas do género que muitos filmes, como True Grit, ainda adoptam. Slow West é um filme sensacionista, a sua natureza é por vezes quase palpável, surreal e até psicadélica nalguns momentos. É um produto inesperado e intrigante, onde se acampa ao ar livre e se sente a chuva debaixo de uma noite de absinto, de alucinações e de tiroteios clínicos na sua apresentação. Um destemido jovem britânico sem qualquer noção do que é o Oeste muito bem interpretado por Kodi Smith-Mcfee, e um solitário cowboy com um passado cruel personificado por um Michael Fassbender rijo e intrigante. É bom ver como de vez em quando surgem pérolas inesperadas como este Slow West, que vive no seu próprio mundo dentro do cinema, tão insólito que por vezes nos questiona enquanto espectadores e que questiona, além do género do western, a noção de “géneros” de cinema em geral.

7estrelas

Amante e crítico de cinema. Actualmente escreve no blog de cinema pessoal The Fading Cam em thefadingcam.blogspot.com e, claro, no Arte-Factos.

Facebook