Músicas da Semana #165

Escolhas de Bruno Rosmaninho (Rosemary Baby):

Caravãna Sun

Caravãna SunThe Bottle
Uma descoberta feita o ano passado. Estes australianos partem a loiça toda ao vivo. Já dividimos o palco com eles e daí esta escolha que aconselho vivamente.

Bernardo BarataAqui não se aprende nada
O Bernardo tem acompanhado todo o meu crescimento enquanto artista, até me vendeu a minha primeira viola onde aprendi os acordes. Música do Pedro Puppe e dos antigos OIOAI dos quais eu era / sou um fã especial.

Ligth Gun Fire – Running Home
Novo projecto do Luís Grade Ferreira e Rodrigo Almeida, trompetista e guitarra de Rosemary Baby. Incluída na compilação 2015 dos Novos Talentos Fnac. Um pouco de melancolia para o dia a dia.

ZéMaria – Past 2
Dentro das muitas canções que eu gosto vindas do Brasil, escolhi esta. Podiam ser outras 100 mas foi esta. O baterista desta banda foi uma das pessoas que me inspirou a ser músico. Aquele momento que te apetece bater o pé e dançar.

Chef’Special – Birds
Rock Pop com boa onda. Uma banda que conheci por acaso devido ao nome curioso, que de certo modo tem alguma coisa a ver comigo.

Escolhas de Hugo Rodrigues:
©Lindsey Topham

©Lindsey Topham

Giraffes? Giraffes! – When The Catholic Girls Go Camping, The Nicotine Vampires Rule Supreme.
O math-rock de volta às minhas playlists semanais de música. Não que alguma vez abandone de vez, mas há bastante tempo que isso não ficava a cargo dos Giraffes? Giraffes! que, para além do nome fantástico, têm também excelentes músicas. Esta é uma dessas.

The Physics House Band – Teratology
Ainda mais ou menos dentro da onda da escolha anterior, a playlist semanal do Spotify deu-me a conhecer os The Physics House Band. Escolhi a Teratology porque foi precisamente por ela que comecei a descobri-los.

Thrice — Promises
Quando uma das tuas bandas preferidas acaba, não acaba, dá concertos, está parada e não ata nem desata em relação a material novo. Há esperança, no entanto.

Minus The Bear – The Storm
Este Joaquin foi uma depressão pós-tropical muito fraquinha.

The Fall Of Troy – F.C.P.R.E.M.I.X.
Comecei a semana a matar as saudades dos The Fall Of Troy e assim me mantive durante um par de dias.

Escolhas de João Neves:

The Mars Volta

The Mars Volta – Dyslexicon
Não foi por tanto se falar de Marte nas últimas semanas mas nesta voltaram mesmo à playlist e que bom foi tal ter acontecido.

FM Belfast – DeLorean
Esta semana ouvi o último álbum dos FM Belfast e a opinião já formada nos antecessores mantém-se, apesar de não ser o melhor que há também não é o pior, fica um “eeeh…” como classificação. Provam que mesmo com todas as sonoridades inovadoras dos sintetizadores a qualidade da composição não deve ser relegada para planos inferiores e talvez possuam bastantes clichês datados lá de 80, ainda assim, esta “DeLorean” prima pela fuga aos mesmos e pela sonoridade interessante.

Chvrches – Keep You on My Side
Por falar em sintetizadores, já ouvi o último álbum dos Chvrches. Tirando nuns lados e acrescentando noutros acho que conseguiram manter o nível do primeiro.

Pink Floyd – Shine On You Crazy Diamond
Um destes dias deu-me para ouvir esta obra completa, ou seja, todas as suas nove partes de seguida, o que deu para relembrar o quão fantástica ela é (mesmo na íntegra).

Dead Combo – A Menina Dança #1
Sou pior que um pé de chumbo, mas de qualquer das formas fica aqui o convite.

Escolhas de Ricardo Almeida:

BadBadNotGood

BadBadNotGood & Tyler, The Creator – Seven
Sem nada para fazer, passámos a noite de ontem a correr o iTunes e a estante dos cds. Abrimos as hostilidades com Converge, mas rapidamente fomos parar ao Boiler Room dos Bad Bad Not Good. Fiz questão de ver o Tyler a passar-se lá para o fim deste vídeo. Mostraram-me Oddisee e gostei.

A Perfect Circle – Judith
A dada altura conduzi um assalto à casa da minha irmã (no andar de baixo), em busca de algo para beber. De volta ao meu quarto – no sótão – viajámos até ao secundário. Foi giro voltar a ouvir Pantera e Down e lembrar-nos de quando éramos putos e o N.O.L.A. rodava que se fartava, “Eish, vou pôr isto no mp3 e ouvir durante a semana”.  A Perfect Circle (e Tool obviamente), ainda roda muito por estes lados. E já agora… Deftones!

Jungle – Busy Earnin’
De um “ganda” Blood and Thunder dos Mastodon fomos parar a Kanye West (não sou grande fã).

Touché Amoré – Anyone / Anything
Andámos pelo grunge, demos uma de meninas com os Smashing Pumpkis, e destruímos o quarto  com System of a Down.

Ulver – Porn Piece Or The Scars Of Cold Kisses
Sendo eu uma pessoa responsável, já não ia pegar no carro. Depois de uma caminhada pela costa deserta às 6 da manhã, o meu amigo “faleceu” no sofá. Voltei para o sótão, e como preciso sempre de me distrair um bocado antes de me deitar ouvi três vezes seguidas a mesma música do Lou Reed e uma do Jeff Buckley e fui dormir.

Escolhas de Sèrgio Neves:

Toro y Moi

Toro y Moi – Grown-up calls
Livrei-me finalmente de um telemóvel com teclas e aceitei o inevitável destino dos smartphones, das aplicações inúteis e das baterias que se esgotam mais rápido que a paciência.

Sigur Ròs – Olsen Olsen
E falando de aplicações, há pelo menos uma que importa porque vai mostrando em fotos a aventura de duas pessoas queridas por um país frio mas lindíssimo, e que me vai aguçando o apetite pelo mesmo destino.

Colleen – Everything Lay Still
Na azáfama diária de uma rotina aborrecida e destrutiva, é importante sair da moldura e acalmar a confusão do universo de dentro de nós, reconhecendo que o que realmente importa são as pequenas coisas que nos assentam e nos fazem sentir.

Nils Frahm – Over There, It’s Raining
O furacão Joaquin trouxe a chuva e o frio um pouco antes do que aquilo que esperávamos, retirando a vivacidade das ruas, mas não da pele.

Cate Le Bon & Perfume Genius – I Think I Knew
Quantas respostas surgem antes ainda de se fazer qualquer pergunta?

Arte-Factos

Webzine portuguesa de divulgação cultural. Notícias, música, cinema, reportagens e críticas. O melhor da cultura num só lugar.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube