Top 10 de 2015 por Cláudia Andrade

Top 10 de 2015 por Cláudia Andrade

À semelhança do que aconteceu no ano passado, deixo-vos com alguns dos momentos mais marcantes deste ano de 2015, seja para exercitar a minha memória, seja para guardar a recordação ou apenas para que ao lerem este top e caso tenham estado nestes mesmos sítios que eu, se revejam, recordem e guardem a memória em vocês mesmos.

#10 Exposição Madrid Off no CPF

©Óscar Carrasco

©Óscar Carrasco

Quem me conhece sabe que adoro fotografar espaços abandonados e que adoro ver fotografias dos mesmos. Foi agora no final do ano que tive a agradável surpresa de ver a exposição Madrid Off, um projecto que se configura como uma cartografia de espaços abandonados ou não utilizados da Comunidade de Madrid. Um projecto pelo qual me apaixonei à primeira vista. 24 fotografias impressas em tamanho quase real que fazem com que quem olhe sinta que está naquela cidade, naquele espaço, naquele momento.

#9 DakhaBrakha na Fundação Calouste Gulbenkian

DakhaBrakhaDos concertos mais estranhos, diferentes, loucos e frenéticos a que tive o prazer de assistir. Os DakhaBrakha são um dos grandes fenómenos dos últimos anos no circuito da world music e foram das poucas bandas que até hoje me fizeram entrar em transe a par com os gigantes Dead Can Dance.

#8 NOS Primavera Sound Porto

#23 AmbienteFoi em 2012 que comprei pela primeira vez o bilhete para o NOS Primavera Sound. Seria o primeiro ano deste festival e seria a primeira vez na vida que iria ver uma das melhores cantoras/compositoras de sempre – Bjork. O cancelamento do concerto levou-me à venda do bilhete e a 3 anos de amuo por tal situação. Foi este ano que fiz, finalmente, as pazes com este festival e segui rumo ao Porto para viver a experiência pela primeira vez. Só posso dizer que é sem dúvida um dos melhores festivais da actualidade, quer pela diversidade de artistas, quer pelo ambiente ou espaço onde se realiza. Patti Smith, Pallbearer, Electric Wizard, José Gonzalez, Antony & The Johnsons e Yasmine Hamdan foram alguns dos momentos mais especiais deste ano.

#7 Música de 2015

Anna-Von-HausswolffÉ impossível eleger apenas um álbum como o melhor porque há demasiados álbuns espectaculares a marcar este ano. Anna Von Hausswolff, Prurient, Sunn o))), Steve Von Till, Marika Hackman, Godspeed You! Black Emperor e Max Richter são só alguns dos muitos que merecem estar em primeiro num top qualquer. Foi um ano bom, muito bom.

#6 Névoa no Metalpoint

©Ana Fernandes

©Ana Fernandes

Quando as saudades do palco apertam e temos a oportunidade de matá-las um bocadinho, é um dia feliz. Foi isso que foi o concerto de Névoa no Metalpoint, um dia muito feliz.

#5 Author & Punisher no Salgado faz anos Fest

12-author-punisherE quando pensas que nunca vais ver um músico na vida porque ele mora longe que se farta e no final tens a melhor surpresa do mundo logo no início do ano? Foi isso que aconteceu no dia 24 de Janeiro quando Author & Punisher pisou o palco do Maus Hábitos para um concerto fabuloso, e quando no final ele me foi apresentado e tive oportunidade de lhe dizer o quão espectacular ele é e o quanto espero que ele volte a Portugal no futuro.

#4 Marriages no Hoxton Square Bar & Kitchen

marriagesMais um ano em que voei de propósito para ver um concerto. E que concerto. Uma noite especial passada com amigos especiais e momentos únicos difíceis de esquecer. São estas as noites que ficam na memória e são estes os momentos que vamos recordar antes de partir desta vida.

#3 Especial Ingrid Bergman na Cinemateca

Ingrid BergmanA Cinemateca é e vai ser sempre aquele cantinho especial que me preenche o coração. Todas as vezes que lá entro olho para o tecto e vejo um céu estrelado mesmo que na rua esteja a chover. E é mesmo isso que a Cinemateca é para mim, um céu estrelado mesmo que tudo esteja a correr mal. Foi com esse céu estrelado que a Cinemateca me recebeu no dia 1 de Julho para assistir ao primeiro filme do ciclo mais bonito que o espaço alguma vez apresentou, o Ciclo Ingrid Bergman, uma homenagem ao 100º aniversário do seu nascimento. Ver o Casablanca numa tela é sem dúvida daquelas experiências que devemos viver pelo menos uma vez na vida.

#2 Amplifest

#5 Filho da MãeO ano em que vivi o Amplifest pela primeira vez e só tenho coisas boas a dizer, desde o ambiente, às bandas, ao espaço, à criatividade de procurar sempre coisas novas e diferentes, tentar estar sempre mais à frente e mostrar profissionalismo e bom gosto a cada segundo. Das experiências mais bonitas do ano.

#1 Exposição “L’imaginaire d’après nature” de Henri Cartier-Bresson no AXA

Exposição-L'imaginaire-d'après-natureFoi este ano que tive a oportunidade de ver, finalmente, uma exposição daquele que considero ser o melhor fotógrafo de todos os tempos. É difícil descrever as sensações e emoções que tive ao ver numa parede fotografias que fizeram parte da minha aprendizagem enquanto fotógrafa, tanto a nível de composição como de paciência e espera pelos momentos decisivos, algo que Bresson dominava tão bem e de forma tão poética.

Cláudia Andrade

“When words become unclear, I shall focus with photographs. When images become inadequate, I shall be content with silence.”
― Ansel Adams