Músicas da Semana #184

Escolhas de Hugo Rodrigues:

Xiu Xiu

Xiu Xiu – Falling
A banda sonora do Twin Peaks foi reinventada pelo trio norte-americano Xiu Xiu para um lançamento especial no Record Store Day e durante a semana que passou pudemos escutar “Falling”, a primeira amostra do que está para vir. E que bom que está.

Brian Fallon – Painkillers
A dar um tempo nos The Gaslight Anthem, Brian Fallon decidiu atirar-se mais uma vez a um projecto a solo e desta feita em nome próprio. Painkillers é a faixa que dá nome ao disco de estreia editado há um par de dias e é impossível ficar indiferente à voz de Fallon.

Kevin Devine — Between The Concrete & Clouds
Quem voltou a rodar por aqui esta semana foi o senhor Kevin Devine. Há três ou quatro músicas que gosto bastante no disco Between The Concrete & Clouds e, também aqui, a escolha recaiu sobre a música que dá nome a esse trabalho.

P.O.S. — Sleepdrone/Superposition
Julgo que já não é desta semana mas, também P.O.S. apresentou recentemente um tema novo. Com quase nove minutos de duração, volta a ser mais um tiro certeiro e aguardo com expectativa um novo disco.

Black Mountain – Florian Saucer Attack
Está quase aí a estreia dos Black Mountain em solo nacional e durante esta semana tenho andado a ouvir o single Florian Saucer Attack enquanto não ponho os ouvidos em IV, próximo álbum da banda.

Escolhas de Cláudia Filipe:

Johnny Cash

Johnny Cash – We’ll Meet Again
Há coisas com as quais não sei lidar e uma delas é ver pessoas partir. Ainda pior quando têm a vida inteira pela frente. Esta é para o amigo E., que deixa muitas saudades.

dEUS – Disappointed In the Sun
Tem estado sol, os dias estão maiores, o que me lembra que a Primavera está quase aí. E é a melhor altura do ano. Compromisso para esta semana que vai entrar: começar a segunda-feira um sorriso.

James Blake – Modern Soul
Umas semanas de ausência de rubrica, mas pouca criatividade nas escolhas: ando com a nova do Blake em loop. O Retrograde foi um dos álbuns que mais me marcou nos últimos tempos, por isso as expectativas para o seu sucessor estão bem lá em cima. Mas, a avaliar por este avanço, vem aí uma bomba.

J Mascis – Fade Into You
Covers bem feitas no meu caminho? Ouço-as todas. Um dia faço uma compilação de centenas de horas.

Sensible Soccers – Nunca Mais me Esquece
2016 começa bem para as bandas nacionais. Villa Soledade é mais um registo feliz por parte dos Sensible Soccers. Fica a inveja por não ter conseguido bilhete para os concertos de apresentação em Lisboa.

Escolhas de João Neves:

the-last-shadow-puppets

The Last Shadow Puppets – Everything You’ve Come To Expect
Tanto tempo à espera para ouvir algo novo e será que valeu a pena? Na primeira impressão podemos dizer que sim. Tal como podemos dizer que cada vez mais os projectos do Alex Turner se aproximam mais entre si.

Queens of Stone Age – I Appear Missing
Esta semana apeteceu-me muitas vezes ouvir e não sei bem as razões. Terá sido o solo de guitarra? A letra? Ou simplesmente por ser tão boa? Talvez uma mistura de tudo.

Filho da Mãe – Júpiter
Semana de audição de mais um simplesmente belo álbum vindo de terras lusas. Aqui as guitarras choram, riem, falam… como em nenhum canto do mundo.

Sensible Soccers – Clausura
Ouvi também o novo de Sensible Soccers e algumas coisas trouxeram-me à memória o Paulo, aquele concerto no Maria Matos. Com menos um elemento mas cada vez mais maduros e a fazerem parte da música electrónica mais interessante que se faz em Portugal.

Ben Frost – Killshot
Quentinho a chegar aqui. O nome já não me era estranho mas confesso nunca ter pegado. E que mal eu fazia! É bom ter amigos que nos enviam música desta!

Escolhas de Ricardo Almeida:
©Jimmy Hubbard

©Jimmy Hubbard

Baroness – Chlorine & Wine
Se o concerto de Deafheaven não aqueceu nem arrefeceu, o dos Baroness foi exactamente o contrário. Não estava nada à espera de gostar tanto, até porque não achava piadinha nenhuma ao Purple. Os tipos são melhores ao vivo do que estava à espera e no final do concerto em vez de fugirem para o backstage ficaram por ali a falar com o pessoal, a beber copos, a dar autógrafos – pessoal muito porreiro. Acabei por passar a semana toda a ouvir Baroness – e adivinhem lá que álbum rodou mais? É verdade, não sei o que é que aconteceu mas já gosto do Purple.

Jozef Van Wissem & Jim Jarmusch – Etimasia
De volta aos discos, Van Wissem lançou este ano When Shall This Bright Day Begin. Está um mimo. Neste fim-de-semana resolvi pegar num dos discos que Van Wissem gravou com Jim Jarmusch e fui aproveitar o sol e fazer um pouco de fotossíntese.

Converge – You Fail Me
Ontem deu-me um ataque de alergia a pessoas e resolvi ficar em casa a ouvir Converge em vez de ir ver os The Soft Moon. Por norma até gosto de ir sozinho a concertos, mas acho que iria ser demasiado deprimente ouvir a “Wasting” triste só e abandonado (como o Epá).

A Place to Bury Strangers – Lost Feeling
PORQUÊ!? Porque é que cancelaram isto!? Exploding Head, aquele confidente com uma paciência de santo para ouvir sempre as mesmas histórias em longos passeios nocturnos pelos bairros residenciais de Bristol. Preciso de ver estes tipos ao vivo para colocar, de uma vez por todas, um calhau sobre um capítulo conturbado. Porquê, meus sacanas, porquê!?

Steve Von Till – A Life Unto Itself
Por motivos que desconheço hoje acordei com vontade de comer um peixinho. Aparei a barba, deixei um bonito bigode, e lá fui eu até Cacilhas. Já era tarde e não havia douradas. Optei pelo bacalhau à lagareiro – queria polvo mas diz que iria demorar. Gosto de comer sozinho, como os cães. Sol na tromba, um peixe estupendo e o tio Von Till a patrocinar uma melancolia complicada. Bom domingo.

Arte-Factos

Webzine portuguesa de divulgação cultural. Notícias, música, cinema, reportagens e críticas. O melhor da cultura num só lugar.

Facebook Twitter LinkedIn Google+ YouTube